sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Cabruêra


Em 1.998, quatro alunos "porretas" da Universidade Federal da Paraíba se reuniram e formaram o Cabruêra. 

Desde então a proposta é misturar influência do cancioneiro popular nordestino com as mais diversas tendências musicais. 13 anos depois trazem no curriculum apresentação para as mais diferentes platéias mundo afora. 

O segundo cd da banda foi lançado por uma gravadora da Alemanha que tem um nome bastante "brasuca": Piranha Records. Seria a velha "máxima": Brasuca que é brasuca tem que fazer sucesso lá fora, para depois ser reconhecido por aqui ?

"Quando a Cabruêra surgiu em 1.998, eu cursava Antropoligia na Universidade Federal da Paraíba em Campina Grande, e através da pesquisa eu estava redescobrindo uma produção nordestina que era, ao mesmo tempo, tão próxima e tão distante. Isso porque só conhecíamos uma produção musica nordestina que era, ao mesmo tempo, tão próxima e tão distante. Só conhecíamos uma pequena parte da obra de Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga por exempor, sem falar em todo universo das músicas em domínio público que trazem o cancioneiro popular nordestino. Além disso, todos os integrantes na época haviam passado por bandas de rock (indicação clássica da maioria dos jovens da nossa geração) e era natural que as influências diversas convivecem em harmonia, já que desde o início o processo de construção musical era, e continua sendo, livre, bebendo em várias fontes de vários lugares diferentes." (Arthur Pessoa, violão esferográfico, escaleta e voz)

"A Cabruêra desde o início teve esse caráter experimental de buscar extrair sons de objetos, influeciado por artistas como Tom Zé, Hemerto, Uakti, Duofel.... o som esferográfico, extraído do violão com uma caneta Bic, surgiu nesse laboratório inicial da banda e foi paulatinamente econtrando o seu espaço dentro da sonoridade da banda. Lembra o som de uma rebeca com uma pegada mais frenética ou de um sintetizador vintage, ou mesmo com já lembrou Bráulio Tavares, com aquelas caixinhas de música do Oriente Médio onde o sujeito gira uma manivela para extrair um som contínuo e hipnpótico" (Arthur Pessoa, violão esferográfico, escaleta e voz)

2002 - Cabruêra [download]
2004 - O Samba da Minha Terra [download]
2010 - Visagem [download]







Nenhum comentário: